Afinal, o que é pró-labore?

Você sabe o que é pró-labore? Neste artigo conversamos com uma especialista na área que explica o que é, como calcular e qual o maior erro do empreendedor quando se fala no assunto.


DA REDAÇÃO DO ELAV - Calcular e separar as contas da empresa ainda é uma dificuldade para muitos empreendedores, entre tantas contas e planilhas para a organização das finanças sempre surge a pergunta se o dono e sócio da empresa devem ter um salário, mais conhecido como pró-labore.


Pró-labore, em latim, significa pelo trabalho e para que você entenda melhor, convidamos a contadora Amanda Santos que respondeu algumas perguntas para equipe do Ela Vence!



O que é pró-labore? Existe diferença entre pró-labore e salário?

O pró labore é a remuneração recebida pelo dono/sócio da empresa. Muito similar ao salário que os trabalhadores recebem no regime CLT, porém o pró-labore é o nome dado ao salário especificamente do sócio para o pagamento das despesas pessoais dele.


Como calcular o pró-labore?

Não existe um cálculo único, isso vai depender do momento em que o negócio está e o quanto é necessário que o sócio retire. É importante salientar que o ideal é que o valor do pró-labore cubra, pelo menos, as despesas pessoais do sócio, ou seja, as contas que ele precisa pagar como pessoa física todos os meses. Mas, no início do negócio, pode ser que o sócio da empresa decida investir 100% do faturamento no negócio, a fim de buscar o crescimento da empresa. Nesse caso, é extremamente importante que tenha uma reserva de emergência construída anteriormente à abertura do negócio para que ele consiga pagar as suas obrigações pessoais mensais. No momento em que o empreendedor decide fazer a retirada mensal é muito importante lembrar que é necessário ealizar o pagamento dos impostos sobre o pró-labore, que são INSS e IRRF. Vamos a um exemplo: Caso o empresário tenha uma retirada mensal de pró-labore de R$ 2.500,00 ele precisa pagar R$ 275,00 de INSS através da GFIP e R$ 24,08 de IRRF através de uma DARF. Empresários não precisam se preocupar com a emissão dessas guias se contratarem um contador, pois ele realiza o envio das guias mensalmente para que o sócio realize o pagamento.


Qual é o maior erro do empreendedor na hora de retirar o pró-labore?

O maior erro dos empreendedores é confundir faturamento (valor total que entrou em determinado mês) com o pró-labore (salário do sócio). Muitos acabam retirando 100% do valor que entra na empresa (faturamento) e não realizam investimentos buscando crescimento contínuo. E se você, empreendedor, não investe no seu negócio, ele não cresce. Sem crescimento você não alcança patamares maiores para ganhar mais dinheiro. É muito importante que no início do negócio, a retirada de pró-labore seja mínima e a maior parte seja destinada ao crescimento do negócio. É muito importante também que o empreendedor tenha uma conta PJ (pessoa jurídica) para recebimento das vendas e serviços realizados e uma conta PF (pessoa física) para o recebimento do pró-labore. Hoje em dia temos bancos digitais que facilitam a abertura dessas contas e isso ajuda com que o empreendedor não misture as rendas.


O pró-labore é obrigatório?

O pró-labore só não é obrigatório para MEI’s, mas empreendedores que estão no regime ME, Eirelli, Lucro Presumido e Real, por exemplo, precisam realizar a retirada do pró labore mensalmente, mesmo que seja um valor mínimo respeitando as regras de legislação.



Amanda Santos é contadora e sócia fundadora do escritório contábil Confideri Assessoria (https://www.confideri.com.br/). Trabalha voltado para a disseminação do ensino sobre empreendedorismo e finanças a fim de apoiar o crescimento de empreendedores através do digital.


19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo