#Elavence Perfil - A capacitação para mulheres e o bem-estar unidos no mundo Business

Conheça a Vanessa Resende, uma mulher que busca desenvolver o empreendedorismo feminino e transformar ideias em negócios.


DA REDAÇÃO DO ELAV - Foi no auge da pandemia que Vanessa Resende e seus sócios, Sérgio Entres e Leo Polli, lançaram a Benvou no mercado. A startup tem o objetivo de transformar a saúde do colaborador através de uma metodologia própria que garante o processo começando pela captação, seleção, curadoria, fazendo parte desse relacionamento. Em paralelo ao empreendedorismo, Vanessa resende começou um novo projeto no Cocreation Lab Mulher, criado para incentivar a arte de empreender entre as mulheres. Hoje, o Cocreation Lab Mulher conta com várias empreendedoras de diversos segmentos em suas turmas e recebem inúmeras startups com equipes formadas apenas por mulheres.


Vanessa Resende começou a empreender em 2019, após sentir uma enorme vontade de trabalhar com tecnologia e ter estudado para compreender o universo das startups. A partir de seus estudos, a CEO da Benvou teve a ideia de criar um aplicativo e deixou suas ideias aflorarem. “Eu sou uma ex-atleta, gosto de bem-estar e gostaria de construir algo no segmento de saúde e bem-estar. Vi um aplicativo em Londres que fazia intermediação de serviços de beleza e bem-estar, trouxe a minha visão e lançamos um aplicativo em Florianópolis voltado para o bem-estar para trazer qualidade de vida e transformar a vida das pessoas através de profissionais que previnem a doença ao invés de remediar com medicamentos”, destaca Vanessa em conversa com a equipe do Ela Vence.


Assim começou a sua startup, dentro de um mercado B2B, oferecendo os seus serviços e produtos para dois hoteis de Florianópolis, para ser utilizado com o corpo funcional das redes hoteleiras. Mas poucos meses depois veio a pandemia e os funcionários tiveram que cumprir quarentena, assim como o mundo inteiro estava fazendo durante aquele período. O que tornou mais difícil de seguir com o seu propósito.


E por conta de toda a dificuldade de empreender durante esse período, a Benvou passou por algumas aceleradoras, além de ter tido uma capacitação. E foi em 2020 que, com a aceleração do Cocreation Lab, a startup acelerou em 3 meses com números elevados.


O Cocreation Lab existe há 5 anos, já passaram 600 projetos, em mais de 20 cidades do Brasil. Mas foi quando Vanessa participou da pré-incubação neste laboratório de ideação voltado para o desenvolvimento do empreendedorismo, que ela percebeu que havia poucas mulheres participando desse processo. Após a formação da Benvou no período final de pré-incubação, Vanessa conversou com o CEO do Lab e apresentou a proposta de criar o Cocreation Lab Mulher, sob uma ótica voltada para os desafios, medos e obstáculos vividos pelas mulheres.

Benvou


A startup Benvou é um movimento em prol do bem-estar. Atualmente é possível notar que as pessoas estão cada vez mais doentes e sensibilizadas com a sua saúde. Segundo a OMS – Brasil é o líder no Ranking Global de países mais depressivos e ansiosos do Mundo, falar de qualidade de vida não é um assunto simples e são diversas variáveis que compõem esse assunto. E para falar de Bem-estar, hoje a startup apresenta um aplicativo mobile, 100% desenvolvido na cidade de Florianópolis. O app conecta profissionais liberais das áreas do bem-estar, saúde e beleza às pessoas que buscam mais qualidade de vida.


“A Benvou entrega para a empresa, além de toda a transformação na qualidade de vida dessas pessoas que fazem a empresa, a gente entrega metrificação, relatórios para os diretores e para o RH. O RH vira um analista de dados de pessoas, naqueles assuntos que ele não é competente (como a psicologia e o ser humano como um todo)”. Ou seja, não existe mais essa separação de que você é uma pessoa dentro da empresa e outra pessoa fora da empresa. Na verdade, isso acabou. A Benvou está aí para mostrar que as pessoas precisam ser cuidadas por inteiro porque isso afeta no engajamento, produtividade e financeiro.


Vanessa Resende, Co-founder & CEO da empresa ressalta ainda que: “através do App é possível se conectar a mais clientes, gerar mais renda e ter autonomia sobre a sua própria vida, e quando falamos de ‘vida’; nos referimos tanto no lado profissional quanto no pessoal. Portanto tomamos o cuidado de trabalhar com margens mais atrativas, gerando impacto real no bolso desse público. Por exemplo, para serviços de beleza atualmente os estabelecimentos cobram em média 70% do valor pago e repassam apenas 30% para o profissional, aqui na Benvou nós já invertemos isso! Além de estimular nas pessoas mais qualidade de vida, nós defendemos a bandeira do empreendedorismo”.


Cocreation Lab Mulher


Segundo o relatório especial Empreendedorismo Feminino no Brasil, do Sebrae (2019), as mulheres trabalham menos horas no negócio (18% menos que os homens), e 25% trabalham no domicílio, contra apenas 6% dos homens. Em casa, sabemos que elas se dividem entre o próprio negócio e afazeres domésticos ou cuidados com os filhos. Por isso, uma estrutura de apoio é tão importante na busca por equidade.


Quando o assunto é inovação, tecnologia e economia criativa, ainda há muito a ser explorado e um longo caminho até atingir equidade na representatividade e diversidade nesses setores. Além disso, a formação empreendedora, o apoio técnico e metodológico, e o networking podem mudar esse cenário de adversidades.


“É preciso de capacitação para se inserir no mercado tecnológico. Já temos que chegar munidas de conhecimento, pois às vezes perdem-se talentos porque as pessoas não se capacitam. Nós temos resiliência, garra, mas ainda vejo dificuldade na questão de adaptação. Geralmente, as mulheres vêm de outras áreas e têm que estudar muito sobre o universo das startups. Eu mesma tive que aprender muita coisa sozinha, estudava à noite, pelo Youtube. É importante ter propósito, mas ainda mais se capacitar”, defende a empreendedora, que também dá mentoria para mulheres e outros profissionais.


Vanessa também apontou que teve apoio de muitas pessoas que a ajudaram a chegar onde chegou, e percebeu que aplicar a resiliência na vida pessoal e profissional é muito importante. “Sou mãe, empreendedora, mentora e sei como é difícil conciliar tudo e ainda se capacitar”, afirma ressalta CEO da Benvou.



A importância do Cocreation Lab Mulher


Na busca por igualdade e representatividade, dados mostram a importância de se levar em conta as particularidades da realidade das mulheres brasileiras. Segundo o relatório especial Empreendedorismo Feminino no Brasil, do SEBRAE (2019), a proporção de negócios por necessidade é maior no grupo das mulheres (44% de necessidade contra 32% no caso dos homens). Elas também trabalham menos horas no negócio (18% menos que os homens), e 25% trabalham no domicílio, dividindo-se entre o próprio negócio e afazeres domésticos ou cuidados com os filhos, contra apenas 6% dos homens.


Ainda segundo o SEBRAE, empreendedoras brasileiras atuam principalmente em quatro atividades: serviços de alimentação, serviços domésticos, comércio varejista de roupas e cabeleireiros. Em relação à tecnologia, inovação e economia criativa ainda há um longo caminho a percorrer, mas também há oportunidades.


As mulheres pensam duas vezes antes de continuar a empreender. Seja por duvidar da sua capacidade, comparar-se aos homens, achar que são dependentes para conquistar parcerias e investimentos. Outros motivos estão atrelados à jornada tripla das mulheres, além de ser mães, não ter apoio dentro de suas próprias casas, sofrer com privações de familiares e até mesmo de seus companheiros. Não podemos esquecer das grandes mulheres que possuem capacidade técnica, mas não tem conhecimento sólido para empreender, gerir ou escalar e se unem a outras pessoas que acabam comandando seus negócios por não ter o espírito de liderança.


É por este motivo que iniciativas como o Cocreation Lab Mulher são tão importantes. Pois é através da criação de programas que são pensados e adaptados especialmente para as mulheres e suas especificidades que o comportamento cultural de diferenciação de mercado entre homens e mulheres está mudando. Não somente por esta ótica de transformação cultural, mas, também, por incentivar, promover palestras, estimular o aumento do percentual de mulheres nas empresas de tecnologia, e desenvolver as mesmas oportunidades que os homens têm no mundo Business.



89 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo